Saev Ambiental implanta novas lixeiras subterrâneas para armazenamento de lixo
quarta, 2 de outubro de 2019

Saev Ambiental implanta novas lixeiras subterrâneas para armazenamento de lixo 

Praça São Bento foi o local escolhido para receber a medida pioneira na cidade; com as novas lixeiras, será possível ampliar a capacidade de armazenamento de 20 litros para 2 mil litros

Inovar e buscar soluções para o descarte correto de resíduos é uma das características marcantes da Superintendência de Água, Esgotos e Meio Ambiente de Votuporanga, a Saev Ambiental. Após o pioneirismo na criação do Ecotudo, projeto que nasceu em Votuporanga e foi replicado para diversas cidades, a Saev Ambiental deu início a uma outra obra que certamente terá a mesma repercussão. Iniciada na última sexta-feira (30/08), a implantação de lixeiras subterrâneas na Praça São Bento foi uma medida estudada pela Autarquia para realizar a coleta de lixo comum e reciclado de maneira a contribuir positivamente com os aspectos visual e urbanístico, ambiental e financeiro.

Com as duas novas lixeiras, uma destinada para materiais orgânicos e outra para recicláveis, será possível ampliar a capacidade de armazenamento de 20 litros (das atuais lixeiras) para 2 mil litros. “Podemos realizar a coleta em maior periodicidade, já que a capacidade de armazenamento foi ampliada, sem causar consequências ao meio ambiente porque os materiais estarão a dois metros de profundidade, dentro do container”, explicou o engenheiro Marcelo Marin Zeitune, Superintendente Adjunto da Saev Ambiental.  

Além de estimular o descarte do lixo corretamente, as lixeiras subterrâneas não permitirão que os materiais sejam levados por vento ou chuva, indo parar em bueiros ou galerias pluviais, protegendo, assim, o meio ambiente. “Implantando a lixeira subterrânea, o lixo ficará protegido também dos animais, que não terão contato com os resíduos descartados no local. Além disso, estará protegido da chuva, evitando que materiais se tornem criadouros do mosquito transmissor da dengue, o Aedes Aegypti”, explicou o Superintendente da Autarquia, Waldecy Bortoloti.


Compartilhar